Monitoramento de Empresas

O Monitoramento objetiva alinhar todos os stakeholders da organização na estratégia de longo prazo do negócio, onde a Innofinance pretende, não somente, compreender a performance passada da organização, mas contribuir proativamente nas discussões acerca do futuro da instituição, quantificando os seus respectivos impactos econômico-financeiros, sempre à luz da criação de valor, através de projeções gerenciais de Balanço, DRE e Fluxo de Caixa.

Tais projeções podem culminar no Valuation do negócio, orientando as tomadas de decisão ao processo de criação de valor (Value Based Management). Ao longo do tempo, as discussões tendem a ser centralizadas nos processos que mais criam ou destroem valor à organização.

O principal alicerce do Monitoramento está fincado na implantação de instrumentos de Governança Corporativa.

Na prática, como esse processo funciona?

Innofinance identifica as áreas e processos que mais geram ou destroem valor à empresa, desenvolvendo, posteriormente, indicadores de produtividade que venham a conectar o “dia a dia” do corpo funcional, com decisões de cunho estratégico da organização, tais quais índices que envolvam mais de uma área da instituição, visando horizontalizar a discussão entre os líderes dos respectivos setores.

Anualmente, os acionistas definem o retorno que esperam do negócio, para um determinado horizonte de tempo (normalmente, 12 meses).

A partir daí, a Innofinance desenvolve Plano Estratégico que busque essa rentabilidade, contemplando as metas estratégicas a serem perseguidas pela diretoria/executivos, derivando daí um Plano de Ação, a nível macro, e o Orçamento do ano seguinte.

Quanto ao Plano de Ação a nível macro, este é desdobrado em duas partes: (1) ele indica o grau de necessidade de elevação dos indicadores de produtividade para que a meta de retorno seja atingida; (2) quando o mesmo é disseminado na equipe, são definidas, em conjunto, as ações do “dia a dia” que garantirão a sua execução.

Innofinance, com o Orçamento e com as metas dos indicadores de produtividade desenvolvidos, coordena reuniões mensais com os acionistas e diretoria, a fim de verificar como a performance Realizada vem se comportando frente a Orçada, sugerindo, se pertinente, novas decisões estratégicas ou ações corretivas nos indicadores que não estiverem performando.

O encontro ainda é utilizado para discussões acerca das movimentações do mercado em que a instituição está inserida, competição e aspectos concorrenciais do segmento de atuação, além de oportunidades e riscos no entorno da empresa.

A depender das especificidades do negócio, ainda podem ser temas da reunião: o montante máximo de dividendos a ser distribuído; a necessidade de capital de giro; a capacidade máxima de investimento para determinado período ou o tamanho da reestruturação necessária de determinada unidade de negócio ou da empresa.

Adicionalmente, durante o Monitoramento de Empresas, é comum a criação de ferramentas práticas, que auxiliam na gestão dos negócios, sobretudo em: otimização de logística; timesheet; controle econômico-financeiro; hedge para operações cambiais; agenda comercial proativa; pricingdashboard dos indicadores de desempenho; dentre outras. Pode-se atuar, ainda, ativamente nos pricings de alto valor agregado ou naqueles que forem definidos como prioritários pelo corpo diretor.